Páginas

www.marquinhodjblackmusic.blogspot.com

29 de jan de 2013

Keith Sweat no Brasil

O ano de 2013 já começou muito bem.
Em Janeiro teremos Bootsy Collins em São Paulo e em Março a presença de um dos maiores nomes da R&B: Keith Sweat.

Ele ficou famoso por aqui ainda nos anos de 1980 com o álbum “Make Last Forever”, cuja a faixa de mesmo nome alcançou as melhores posições da Billboard entre 1987 e 1988.
Além de “Make Last Forever”, outras faixas estouraram por aqui: “Right and A Wrong Way”,“How Deep Is Your Love” e a poderosa “Nobody”, lançada em 1996 mas que em 2002 por um motivo ainda desconhecido voltou a tocar nas rádios “blacks”.
Um colecionador de hits, um grande nome da música negra que você terá a oportunidade de ver ao vivo no Rio de Janeiro no dia 16 de Março de 2013.
Se você não é do Rio de Janeiro, vale a pena fazer um pequeno esforço para chegar até lá.

26 de jan de 2013

JUAN DJ * TOCANDO SOUL NO VINIL !!!



QUE BOM ASSISTIR A APRESENTAÇÃO DO JUAN DJ, AINDA É UM MENINO E JÁ TEM O GOSTO PELA BOA MÚSICA, INCENTIVADO POR SEU PAI, JAILSON SOUL DJ * PARABÉNS !!

22 de jan de 2013

Posse do segundo mandato de Barack Obama(2013)

Barack Obama dança com Michelle Obama em festa após a cerimônia de posse para o seu segundo mandato na presidência dos Estados Unidos (Foto: Joe RaedleGetty ImagesAFP )

"Agora, mais do que nunca, devemos fazer essas coisas juntos, como uma só nação e um só povo", disse Obama diante de milhares de pessoas nas escadarias do Capitólio, sede do Congresso dos EUA, em um discurso em que apelou aos valores americanos e prometeu "alianças fortes" com os parceiros internacionais.

Obama fez um discurso apartidário e conciliador, em que não citou os nomes do seu Partido Democrata e dos oposicionistas republicanos.

A divisão dos dois partidos em relação aos principais temas do governo marcaram o primeiro mandato do democrata.
Obama reiterou o compromisso norte-americano com a liberdade e prometeu, em seu segundo governo, proteger os mais vulneráveis.

Ele disse que, se o país quiser triunfar, ele terá de fortalecer a classe média, e não uma "elite de poucos".
"A prosperidade da América deve repousar sobre os ombros largos da classe média", disse.

O democrata afirmou que esta geração de americanos foi testada por uma década dura, de guerras e crise econômica, que estão acabando, mas tem todas as características que o mundo moderno precisa para seguir adiante e explorar as "possibilidades ilimitadas" do país.